Volver

O título acima não é alusivo ao filme de ALMODOVAR mas à necessidade de os presidentes da Câmara e do Senado – ALDO RABELO e RENAN CALHEIROS – voltarem atrás da decisão golpista, arquitetada em surdina e proclamada de surpresa por eles ao apagar das luzes da atual legislatura, de duplicar os vencimentos dos parlamentares.

Embora a decisão não tenha sido “individual ( como disse Renan, encabulado ) o fato é que a imagem que se desmoralizou foi a dele e a de Aldo que não tiveram a disposição de enfrentar o corporativismo dos colegas e figuraram como líderes do aumento, o que vai marcá-los, para sempre, perante a opinião pública, se eles não tiverem a sabedoria de recuar, como ainda é tempo.

Nenhum preço ou salário numa Economia estável pode dobrar de um dia para o outro e nenhum dobrou no Brasil atual, salvo os vencimentos dos parlamentares, com reflexos negativos sobre todo o equilíbrio das remunerações no setor público em todo o país, que, mal que mal, estava funcionando.

Todos os movimentos que surgirem contra esse aumento abusivo e sem causa – sejam protestos de rua, desobediência civil, boicote ao pagamento de tributos ( porque a conta desse aumento de despesa estará sendo pago pelos contribuintes) – terão como alvo a instituição do Congresso e, pessoalmente, os presidentes de suas duas Casas.

Se Renan e Aldo não “volverem”, recuando da decisão tomada, perderão, a meu ver, a condição de ser reeleitos.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.