LIMITES E RISCOS DA INTIMIDAÇÃO PELA AMEAÇA DO USO DA FORÇA

A Casa Branca está tentando aumentar a intimidação contra o Irã, como informa JOHN KIFNER em artigo assustador, publicado no NYT e traduzido para a edição de hoje do Estado de São Paulo, que deve ser lido na íntegra.

A ameaça do uso da força serve a duas finalidades: impor uma conduta a quem se sente ameaçado; dar um exemplo a todos os demais. Essa estratégia, porém, depois de muito ser empregada, acaba se tornando ineficaz: a) ou porque o supostamente “todo poderoso” não consegue definir, razoavelmente, a conduta a ser seguida pelo outro ; b) ou porque as pessoas que se sentem ameaçadas não têm outra saída senão perder o medo da ameaça, decidindo pagar para ver. A estratégia da força bruta , portanto, a médio prazo, não é eficaz, embora tenha um poder catastrófico, já demonstrado, dentre outros, pelos nazistas, em meados do século passado.

Confiamos em que os mecanismos da Democracia norte americana dêem provas da sua força ( respaldada no Direito ) e restrinjam o poder dos seus atuais governantes arrogantes e truculentos. Eles estão cada vez mais isolados num país internacionalmente cada vez, também, mais isolado; mas são capazes, ainda assim, de causar muitos males.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.