DINHEIRO versus PODER AQUISITIVO

O “The Wall Street Journal Americas” publicado na edição de hoje do Estadão, em reportagem de E.S.Browning, refere-se ao problema do dinheiro que saíu das bolsas de valores e não tem para onde ir.

Escreve ele a respeito:

“ Os bilhões de dólares que saíram dos mercados acionários não evaporaram simplesmente. Eles estão decidindo onde pousar.”

Segundo Browning os analistas, não chegaram, ainda, a uma conclusão definitiva, sobre o que estaria acontecendo com o mercado financeiro internacional, sendo três as hipóteses: 1 – seria uma retração de curso prazo, há muito esperada; 2 – seria uma fuga dos investimentos mais arriscados e 3 – seria um sinal de que a economia vai enfraquecer.

Eu não sou dos que acreditam que o capitalismo traga, em si, como afirmam alguns, o germe de sua própria destruição: mas, ainda assim, não tenho dúvidas de que ele está em crise e ouso afirmar que uma das formas de resolver essa crise é enfrentar a questão “poder aquisitivo x dinheiro”.

Há muito poder aquisitivo sobrando no mundo e é tanto que nem há o que se comprar com tudo o que sobra – o que, na verdade, desmoraliza o próprio conceito de poder aquisitivo. Enquanto isso uma parte gigantesca da população do mundo lida com problemas que poderiam ser bem resolvidos através do emprego racional do dinheiro.

Numa reportagem em que resumiu o seu livro “O fim da pobreza” escreve JEFFREY D. SACHS:

“Um de cada seis habitantes deste planeta ainda luta diariamente para satisfazer algumas ou todas as suas necessidades críticas, como nutrição adequada, água não contaminada, abrigo seguro e saneamento, bem como acesso aos cuidados de saúde. Essas pessoas vivem com 1 dólar por dia ou menos, sendo ignoradas pelos serviços públicos de saúde, educação e infra-estrutura. Cada dia, mais de 20 mil morrem por falta de comida, água potável, remédios ou outras necessidades essenciais,”

Mas conclui sua análise com uma visão positiva:

“ Pela primeira vez na história, a prosperidade econômica global, proporcionada pelo progresso científico e tecnológico contínuo e pela acumulação auto-reforçadora de riqueza, trouxe ao mundo a perspectiva de total eliminação da pobreza extrema.”

Na mesma linha do que defende o Jeffrey Sachs acrescento meu palpite:

“Uma das maneiras de conseguirmos eliminar a pobreza consiste em pensarmos no dinheiro e no poder aquisitivo como coisas diferentes.”


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.