FRAGMENTOS III – escritor/editor ( final )

Durante os oito anos em que fui diretor da Fundação das Pioneiras Sociais, cuja sede era em Brasília, frequentei, com regularidade, a biblioteca do Senado, onde a Elsita Campos da Paz trabalhava, e publiquei alguns artigos na Revista de Informação Legislativa. A essa altura já me especializara em Direito Monetário tema que estudo há cerca de quatro décadas.

Além de escritor tenho, também, uma certa veia de editor, e gosto de estimular os outros a escrever. A Ana Maria publicou o livro Nossas Receitas, escrito em parceria com a Thereza Camargo, em grande parte por insistência minha. A Lúcia Léa Guimarães Tavares tem vários artigos publicados que foram arrancados por mim, quase a fórceps. Consegui escrever em co-autoria com a Márcia Latgé Mannheimer, não obstante a sua relutância, um artigo sobre a vida e obra de Hans Kelsen. Até do João Guilherme Sauer, o mais difícil de todos, arranquei um prefácio para A Face Legal do Dinheiro, além de uma conferência e um artigo, ainda inédito, sobre o pensamento de Kelsen. Em relação à Rosa, porém, que conta, oralmente, umas historietas muito saborosas, têm sido até agora baldados os meus esforços para torná-la uma escritora.

Comecei a minha experiência de editor no ginásio, ajudando o Roberto Goulart a publicar um jornalzinho escrito por ele, cheio de trocadilhos. O diretor do colégio Mello e Souza, dr. Luiz de Mello Campos estimulava as atividades intelectuais extra-curriculares. Um dos meus colegas de classe, o Hugo Leão, que desenhava muito bem, foi instado a divulgar os gráficos que produzia, com as caricaturas dos colegas mais bem colocados da turma como se estivessem subindo num pau de sebo. O Hugo se tornou muito popular mais tarde quando passou a escrever no Pasquim e ficou conhecido pelo pseudônimo de Hugo Bidet, aparentemente porque servia feijoadas famosas no seu apartamento armazenando o feijão no bidet do banheiro social, porque a cozinha era muito pequena. Ele trabalhou, mais tarde, como escrevente num cartório de Registro de Imóveis onde visitei-o algumas vezes. Também jornalista do Pasquim, egresso do Mello e Souza, foi o Ivan Lessa.

Mais tarde, na Procuradoria, aprendi a ser um editor de verdade com o José Carlos Barbosa Moreira, Procurador chefe da nossa Revista de Direito, que me ensinou, inclusive, a fazer revisão de originais. Muito mais tarde ajudei a Lúcia, então presidente da nossa Associação, a editar a Revista Jurídica da APERJ, de muito boa qualidade.

Ajudei, por último, ao Sabino Camargo a editar alguns textos jurídicos publicados no seu site na internet www.scamargo.adv.br . Hoje dedico-me a este Blog, do qual sou o dono, redator chefe, repórter, comentarista e revisor onde expresso livremente as minhas opiniões.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.