Marcha com Deus, pela família e pela liberdade

Quando vi a reportagem assinada por Tatiana Farah, sob o título “Indignação e dor em Congonhas”, com que o jornal GLOBO de hoje cobriu uma passeata de protesto promovida em São Paulo contra o governo federal não pude deixar de me lembrar de uma marcha semelhante, promovida, no Rio em 1964, pelo padre Petyton, contra o então presidente João Goulart.

Embora a Marcha com Deus, pela família e pela liberdade tenha contado com um número muitas vezes maior de pessoas – ela, como esta agora, organizada pelo presidente da C.R.I.A, Márcio Neubauer – teve igual cobertura ( deliberadamente exagerada ) de primeira página e página inteira pelo mesmo jornal GLOBO da época.

O que me chamou mais a atenção, contudo, nesta pequena reedição da Marcha do meu tempo foi a presença de muitas pessoas com CAMISAS PRETAS, com a palavra “Cansei” escrita na altura do peito.

Num estilo que me pareceu levemente fascista….


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.