ERRO DOUTRINÁRIO

O professor Aldo Fornazeri, diretor Acadêmico da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo ( FESPSP ) num artigo publicado hoje no Estadão sob o título “Recaída Socialista dos moderados do PT” faz, a certa altura, a seguinte afirmação:

“ A tese do socialismo democrático é um paradoxo em si: socialismo e democracia não são compatíveis já que a socialização dos meios de produção não pode ser alcançada e mantida sem o uso de meios autoritários e até mesmo de violência.”

O professor parece ignorar a existência – inclusive “real”, como é o caso, entre outros, da Noruega – do socialismo democrático, o que é uma falha lamentável dele.

No capítulo III do seu livro Democracia, publicado no Brasil pela Martins Fontes em 1993, um dos principais teóricos da Democracia, Hans Kelsen, ao examinar a questão de saber “ se existe uma relação entre o sistema político que chamamos democracia e um dos dois sistemas econômicos que rivalizam entre si na civilização moderna: o capitalismo e o socialismo” conclui que “nem o capitalismo nem o socialismo estão essencialmente relacionados, isto é, relacionados por sua própria natureza, a um sistema político definido.” “Cada um deles” – diz Kelsen às pp. 254 – “pode ser estabelecido tanto sob um regime democrático quanto sob um regime autocrático.”

Sob a outra questão de saber se um determinado sistema econômico pode ser operado com mais eficiência sob um regime político que sob o outro, ensina Kelsen:

“ É possível que a democracia favoreça mais o capitalismo do que o socialismo e que a autocracia seja mais favorável ao socialismo do que ao capitalismo. Essa questão só pode ser respondida com base na experiência histórica e, em minha opinião, nossa experiência concreta não é suficiente para dar uma resposta cientificamente fundamentada. Conscientemente ou não, todas as tentativas feitas até o momento no sentido de abordar essa questão sofreram a interferência das preferências políticas.”

Há três grandes correntes políticas no Ocidente moderno, todas legítimas: o conservadorismo, o liberalismo e o socialismo. O prof. Fornazeri – embora seja contrário ao socialismo – não podia ignorar que tal sistema pode ser democrático, e que a antítese de democracia é autoritarismo, que pode ocorrer, inclusive, num sistema que prestigie o capitalismo, como aconteceu na época do fascismo, por exemplo.

Trata-se, pois, aparentemente, de um professor que não tem conhecimento doutrinário suficiente para exercer a função importante que desempenha na FESPSP, de diretor acadêmico.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.