ESPECULAÇÃO e ESPECULAÇÕES

A palavra especulação tem muitos significados dos quais selecionei dois:

1º – (Especulação) “operação comercial em que uma das partes obtém lucros acima do razoável por tirar proveito de períodos de exceção”;

2º – ( Especulações) “conjecturas não baseadas em fatos concretos”.

Diante da atual alta do Real , produto da especulação, no primeiro sentido, submeto aos leitores as considerações que se seguem, que são especulações, no segundo sentido.

O Brasil, em termos monetários, é um verdadeiro campeão de excessos.

Tivemos uma das maiores hiperinflações do mundo em todos os tempos.

Para amenizá-la produzimos nada menos do que cinco diferentes unidades monetárias: Cruzado, Cruzado Novo, Cruzeiro, Cruzeiro Real e Real ( isso depois do Mil Réis, do primitivo Cruzeiro e do Cruzeiro novo).

Somos recordistas internacionais, sem dúvida alguma, em siglas indexatórias ( ORTN, OTN, BTN, UPC, UFIR, UNIFs, URP, URV, etc ) e, provavelmente, em índices ( IPC, IPCA, INPC, ICC, etc, etc ).

E, ainda assim, no meio dessa confusão, os nossos analistas financeiros, preocupados com o dia-a-dia, apresentam-se na televisão tentando dar a impressão aos crédulos de que a situação monetária e cambial está sob controle, mesmo que já tenha se descontrolado há muito tempo.

Não são apenas os jornalistas que agem assim: tentar passar a imagem de que tudo vai bem é, também, uma atitude encontradiça em ministros da Fazenda brasileiros, categoria que, por sinal, pode ser dividida em duas espécies a) – a dos que fazem mudanças, como Dilson Funaro e Pedro Malan, por exemplo; b) – a dos “arroz com feijão”, como Mailson da Nóbrega e, agora, Guido Mantega.

Dito isto, eis as especulações:

I – já que o dólar é flutuante, e não está sujeito a pisos, e todas as taxas ditas psicológicas, como R$ 2,00, R$ 1,90, R$ 1,80, estão sendo transpostas, a sua cotação, em breve, estará em R$ 1,40;

II – Nesse momento, diante da quebradeira de certos setores ligados às exportações, o governo Lula perceberá que deve fazer alguma coisa para evitar o fracasso eleitoral e nomeará Henrique Meirelles para o ministério da Fazenda;

III – Será baixado, então, o “plano Lula” – tipo “light” – que, mantendo embora o Real como unidade monetária nacional, criará uma taxa de conversão das obrigações monetárias anteriores a 1994 e eliminará todos os atuais resíduos da indexação na Economia brasileira, extinguindo a SELIC, depois de reduzi-la significativamente, e deixará os juros ser fixados pelo mercado;

IV – Haverá uma anistia monetária ampla, geral e irrestrita.

Quem viver, verá.

Será ?


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.