PAZ NA AMÉRICA DO SUL

Os entendimentos dos quais resultaram a libertação de duas reféns pelas FARC da Colômbia devem ser saudados como o início de uma tentativa de instituir uma paz duradoura naquela região da América do Sul, que há anos vem sendo fonte de instabilidade.

A alternativa seria o agravamento das hostilidades e a transformação da América do Sul, a médio prazo, numa espécie de “Oriente Médio” atual, envolvido em diversas guerras sem solução.

Merecem cumprimentos, portanto, os chefes de Estado que contribuíram diretamente para o final feliz dessa história e que foram, por ordem alfabética de sobrenomes: Hugo Chávez, Lula e Álvaro Uribe.

Esses movimentos parecem indicar que está ocorrendo um rearranjo – para melhor, evidentemente -da política latino americana, para o qual todos devemos estar preparados, quando um dos candidatos democratas ( Barak Obama ou Hilary Clinton ? ) for eleito ( segundo espero ) presidente dos EUA.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.