MACHADO DE ASSIS E AS FINANÇAS

Vale a pena ler “A economia em Machado de Assis, o olhar oblíquo do acionista”, organizado pelo professor GUSTAVO FRANCO, que o editor Jorge Zahar acaba de lançar, contendo uma seleção de crônicas em que o grande escritor brasileiro, através de textos literários leves, trata do cotidiano imediato relativo a questões financeiras que repercutiram no Rio de Janeiro no período compreendido entre 1883 e 1900.

Os comentários deliciosos de Machado são valorizados pelas apresentações inteligentes de organizador e a formatação elegante do livro permite que as notas e comentários não prejudiquem a fluência da leitura.

Trata-se, portanto – para usar um termo muito em voga nas mensagens que circulam atualmente na Internet – de uma obra imperdível.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.