BRINCANDO COM FOGO

Ficou demonstrado que o Governador Sérgio Cabral – que expôs o presidente da República ao vexame de aparecer, esta noite, num palanque oficial, ao lado do deputado Natalino Guimarães, denunciado pelo MP local como chefe de grupos de extermínio – está brincando com fogo ao lidar com as questões de segurança no Estado.

O Governador afirmara, várias vezes, que não toleraria a presença de milícias “protegendo” as comunidades pobres. Mas o fato de não ter conseguido impedir a presença do deputado suspeito de comandar essa milícia na Zona Oeste do Estado, numa cerimônia em que o principal convidado era o presidente da República, parece evidenciar sua perda de controle da situação da segurança no Rio.

O Procurador Geral da Justiça, Marfan Vieira, entrevistado, mostrou não ter gostado de ver uma pessoa denunciada por ele ao Tribunal de Justiça estar participando de uma solenidade oficial.

A reportagem da televisão deu, aliás, a entender que tal denúncia não obteve andamento rápido, o que pode ser um indício da presença do conhecido modus faciendi gerador da impunidade.

Não se sabia que o descontrole sobre a área de segurança estadual tinha ido tão longe, tornando cada vez mais difícil para o governo estadual voltar a dominar a situação.

É que a única fonte do poder do governante é a Lei.

Quando ele se subtrai à sua égide em troca de apoio político, ou de aplausos de parte da opinião pública, perde a autoridade.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.