EIXO DO BEM ?

Assistimos na televisão, há dias, à Orquestra Sinfônica de Nova Iorque ser muito aplaudida por uma seleta audiência num concerto em Hanói, no qual executou o hino dos EUA seguido de uma popular música norte-coreana.

Ontem, por outro lado, o presidente Ahmadinejad, com o evidente conhecimento prévio dos americanos, desembarcou em Bagdá para ajudar a resolver o dilema que resultou da fracassada invasão do Iraque em busca de armas de armas de destruição em massa que não existiam.

O eixo do mal do presidente Bush está se transformando, portanto, num eixo do bem ou, mais propriamente – já que essa noção de “eixo” é meio complicada – começa a diluir-se para facilitar as coisas para o novo governo.

Onde tudo continua muito mal, porém, é na Palestina, em que Israel mata uma porção de civis e crianças por dia, numa exasperação que levou o presidente Mahmud Abbas a suspender as negociações de paz, e está causando prejuízo à missão da Secretária de Estado Condolezza Rice que pretendia ir ao local na próxima terça feira para dar continuidade ao processo de entendimento entre os dois povos.

Note-se que, nesse ínterim, o presidente Bush foi à Palestina para dar, supostamente, o seu endosso a tais negociações de paz entre israelenses e palestinos.

Ali chegando, porém, tanto tocou os “tambores da guerra” que, ao invés de ajudar, mais uma vez, aparentemente, atrapalhou.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.