PEQUENO ENSAIO SOBRE O VALOR (1)

O Google registra cerca de 709 milhões de entradas com a palavra value; 75 milhões com a palavra valor; 72 milhões com a palavra wert; 33 milhões com a palavra valeur e 19 milhões com a palavra valore o que evidencia a vulgarização, atual, da noção de valor.

Se admitirmos que um conceito só se torna definido quando consegue ser expresso através de uma determinada palavra podemos afirmar que a noção de valor entrou nossa cultura apenas na Idade Média.

A palavra valor, com efeito, vem do latim tardio valor-õris, e não existia no latim clássico.

No latim clássico falava-se em preço (pretium, ii ) e, para quantificar os preços, usava-se o verbo valer (valeo, ere ) que levava em conta uma estimação (estimatio, onis ). A palavra francesa valeur, a inglesa value e a italiana valore são do século XI. As palavras portuguesa e espanhola valor são do século XII. O alemão Wert traduz o português /espanhol valor.

A primazia da formulação do conceito de valor coube aos juristas e aos economistas: NICOLE ORESME, no seu Pequeno Tratado da Primeira Invenção das Moedas, do século XIV, emprega, em mais de uma oportunidade, as palavra valeur, em francês, e valor, em latim; do mesmo modo o jurista CHARLES DU MOULIN, no Sommaire, do século XVI, utiliza, largamente, a palavra valeur, assim como usa, com freqüência,a palavra valor na versão latina do seu tratado.

Os filósofos passaram a empregar a noção de valor a partir, somente, do século XVIII.

(continua )


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.