PEQUENO ENSAIO SOBRE O VALOR (6)

O erro da noção de valor de troca decorre, de certo modo, do equívoco do conceito aristotélico de troca cujo conhecido texto sobre a matéria é o seguinte:

“Deve existir, então, uma unidade estabelecida em virtude de um acordo, porque isto faz todas as coisas comensuráveis. Com efeito, com a moeda, tudo se mede. Seja uma casa A, B dez minas, C uma cama. A é a metade de B, se a casa vale cinco minas ou seu equivalente; a cama C é a décima parte de B. É claro, então, quantas camas valerão o mesmo que uma casa, quer dizer, cinco. É evidente que a troca se faria desse modo antes de existir a moeda. Não há diferença, com efeito, entre cinco camas por uma casa e o preço de cinco camas”.

ARISTÓTELES começa raciocinando com a moeda – ao referir-se, inclusive, à mina, que era uma antiga peça monetária grega – mas, afinal, abstrai-se da sua existência, para deduzir ser “evidente que a troca se faria desse modo antes de existir a moeda”.

MAX WEBER, como se desmentisse ARISTÓTELES, afirma que nem sempre a moeda foi meio de troca, embora fosse meio de pagamento, como no caso dos dote, das indenizações por dano e outros: o que indica que a moeda teria precedido a troca, e não o contrário.

Diz SCHUMPETER, por seu turno, que a análise de ARISTÓTELES sobre a moeda e a troca não tem respaldo histórico:

“A teoria aristotélica do dinheiro é uma teoria no sentido comum do termo ou seja uma tentativa de explicar o que é e o que faz o dinheiro. Mas ele apresentou-a de uma forma genética, segundo seu costume ao tratar das instituições sociais: ARISTÓTELES elabora o desenvolvimento da moeda como algo que se apresenta como uma seqüência histórica, que parte de uma condição, de um “estágio”no qual não existia o dinheiro”.

Como se vê, as noções (1) de troca como origem da moeda, (2) de moeda como valor de troca e (3) de poder aquisitivo como o poder de compra que a posse de uma peça monetária representa confundem, todas elas, os conceitos moeda e de peça monetária e misturam o resultado dessa confusão de conceitos com a noção de coisa.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.