O QUE FALTA FAZER ?

“O problema” – diz CELSO MING na parte final de sua coluna de hoje no Estadão – “ é que o governo Lula não tem formuladores de política econômica. Com exceção do Banco Central, uma equipe econômica atrás da outra apenas reage aos fatos e, ainda assim, de maneira confusa e imediatista”.

Faz falta, efetivamente, no topo do ministério da Fazenda, um político de formação acadêmica, capaz de liderar pessoas de escolas e pensamentos diferentes, para implantar uma espécie de Plano de “Economia Jurídica” que consiga criar as condições para consolidar as conquistas obtidas sob a presidência Lula.

Todos os analistas percebem que há muito o que fazer na área jurídica ( que hoje eles preferem denominar “regulatória”). Veja-se, por exemplo, o que ocorre no setor da construção civil – um dos que deverão ser mais procurados pelos investidores de longo prazo – que está disciplinado, atualmente, por uma Lei inadequada e cujos conflitos, quando começarem a surgir, vão ser dificilmente bem resolvidos pelo Judiciário.

O governo brasileiro, segundo a entrevista de THOMAS TREBAT concedida à jornalista PATRÍCIA CAMPOS MELLO, conseguiu o “trunfo de ser, ao mesmo tempo, amado por Wall Street e ter taxas altíssimas de aprovação popular, após seis anos de mandato”, mas isso não elimina a necessidade de ele traçar os caminhos indispensáveis à manutenção desse sucesso.

Uma das personalidades que, individualmente, mais se destacaram nesse período foi o presidente do Banco Central, HENRIQUE MEIRELLES, que, segundo se especula, pode vir a ser candidato a Senador ou a governador do Estado de Goiás.

Por que não ministro da Fazenda ?


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.