A POLÍTICA INDUSTRIAL

As intuições do presidente Lula – e a sua capacidade de concretizá-las – produziram mais um programa econômico : a “Política de Desenvolvimento Produtivo” que agradou ao setor industrial brasileiro porque está, aparentemente, no caminho certo.

Além dos PACs, teremos, doravante, a PDP e, quem sabe ( a partir de amanhã ? ) o Fundo Soberano, vários programas e projetos de natureza econômica que constituem a chamada agenda positiva que, a meu ver, vai acabar se impondo sobre os fuxicos em torno dos quais parte da oposição – embora não toda, pois o governador José Serra parece já ter pulado desse barco – quase exclusivamente se debate.

Ao lado disso chegou-se a um consenso quanto à necessidade de aumentar o superávit primário para que o combate à inflação não fique atrelado, apenas, ao aumento dos juros.

Só fica faltando uma disciplina sistemática da nova ordem monetária brasileira, mesmo porque os nossos juros são tão altos e estranhos que não consistem, propriamente, em acessórios do principal, mas em algo sui generis que merece voltar ao normal.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.