MÃOS SUJAS DE SANGUE

Dos quatro mortos, hoje, na Vila Cruzeiro, três, segundo a polícia, eram bandidos, o que significa a clara admissão de que mataram, pelo menos, um inocente.

Tudo isso está sendo feito em nome do propósito de extirpar o tráfico do Rio de Janeiro.

Mas, se o tráfico não acabar ?

O governador e seu secretário de segurança vão ficar, apenas, com as mãos sujas de sangue, de bandidos e de inocentes.

Isso num país em que não há pena de morte, e que a Constituição impõe o respeito ao due processo of law.

O famigerado Carl Schmitt dizia que o poder pertencia a quem instituía o estado de exceção, que é o que parece estar ocorrendo, neste momento, em nosso Estado.

É preciso que o Ministério Público, em nome ao respeito ao Estado de Direito, proponha ao Judiciário o fim dessa matança institucionalizada !


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.