O QUE FAZER PARA SUPERAR A CRISE ?

Agora que está concluído o primeiro turno das eleições municipais no Brasil podemos voltar a nos preocupar com a crise monetária norte americana, que se alastra mundialmente, e tem suscitado várias propostas de solução.

O presidente LULA, recentemente, sugeriu que a ONU assumisse um papel predominante na supervisão das finanças internacionais, enquanto outros líderes preferem que essa tarefa seja atribuída ao FMI, ao Banco Mundial, ao BSI ou a outros órgãos financeiros internacionais.

O ex-presidente FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, por sua vez, em artigo ontem publicado no Estadão e no Globo, adianta uma proposta – que ele mesmo considera um pouco sonhadora – de convocar uma nova conferência internacional, similar a BRETTON WOODS, escrevendo o seguinte:

“Quem sabe, convocando um novo Bretton Woods, para criar um mecanismo regulador que utilize como reserva uma cesta de moedas composta não só de dólares, mas que inclua o euro, o iene, o renminbi, e, no futuro, talvez, até o real, depois que ele se tornar conversível ?”

De minha parte considero inviável uma tentativa de solução monetária global imediata, até porque os americanos resistirão a se deixarem enquadrar por um organismo internacional, sobre o qual eles não tenham o controle.

Creio ser mais provável, portanto, que as soluções para a crise monetária globalizada sejam regionais, embora tendo em vista uma futura regulamentação internacional.

Parece-me possível a criação, aos poucos, de bancos centrais supra nacionais com as funções de disciplinar moedas de alguns Estados nacionais que tenham condições de ter sistemas monetários comuns como, por exemplo, os países anglófonos ( EUA, Canadá, Grã Bretanha, Austrália, Nova Zelândia ), alguns países asiátivos ( Japão, Coréia do Sul e outros ), os países latino americanos (MERCOSUL, Chile, etc ) e assim sucessivamente.

A criação desses bancos centrais regionais, com a função de regulamentar moedas comuns, teria a vantagem de subtrair os Estados nacionais às influências ideológicas, como as que conseguiram prejudicar tanto os EUA em tão pouco tempo.


1 comentário até agora

  1. fabiio novembro 17, 2008 5:21 pm

    eu trabalho por conta e estou sendo afetado ,qual caminho eu devo seguir ja que eu trabalho informal….

Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.