A CRISE É DOS RICOS

Os banqueiros e os aplicadores nas bolsas de valores, estão, hoje, um pouco mais tranqüilos , porque o dinheirão que os governos dos países ricos e emergentes ( os países pobres não contam ) puseram no sistema financeiro conteve, aparentemente, o aprofundamento dos prejuízos, de modo que tudo tenderá a voltar, brevemente, ao normal.

Será normal, contudo, que os ricos, mesmo com a crise, continuem ricos e os pobres, depois dela, fiquem mais pobres ?

Segundo os marxistas o valor é o trabalho e, por isso, são as grandes massas pobres que, com o seu trabalho, enriquecem, injustamente, os ricos.

Acontece que o trabalho dos pobres produz, sem dúvida, riquezas, mas a organização e a tecnologia dos ricos também as produz, de modo que a teoria do valor/trabalho parece insuficiente para oferecer os caminhos para superar a apontada injustiça.

Por outro lado, nem a riqueza, nem o trabalho, são, propriamente, o valor, já que este é uma forma, que se encontra no plano do conhecimento, de interpretar a realidade, realidade essa onde se inserem o trabalho, a organização e a tecnologia: o que dificulta, ainda mais, a busca das fórmulas de acabar com as injustiças sociais que essa crise, que vemos todos os dias pela televisão, torna cada vez mais claras.

O fato, porém, é que atual crise dos ricos ameaça tornar os pobres mais pobres, sendo cada vez mais urgente e necessário encontrar saídas para esse impasse.


1 comentário até agora

  1. Luciana Jansen Figueiredo outubro 21, 2008 6:19 am

    Tio querido, excelente esse seu post. Aproveito para deixar meus parabens (atrasados, nao consegui falar ontem). Bjo, Lu.

Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.