UMA UTOPIA

O atual desarranjo financeiro internacional é uma crise monetária.

Há, presentemente, no mundo ( mal distribuído ) muito mais dinheiro do que coisas e serviços para comprar, do que resulta que a noção ( que provém de ADAM SMITH ) de que a moeda teria valor, e que esse valor consistiria no seu poder aquisitivo, espatifou-se.

Se o dinheiro não é poder aquisitivo – se ele, em si, não é riqueza – o que ele é então ?

O fato de ainda não se saber, exatamente, o que é a moeda, não quer dizer que a moeda vá deixar de existir. Ou, em outras palavras, a crise financeira atual não vai significar a superação do dinheiro – como muitos, consciente ou inconscientemente, o desejam – mas tornará ultrapassadas algumas noções que o acompanham há alguns séculos.

A meu ver, mesmo não sendo riqueza, mesmo não tendo como conteúdo o poder aquisitivo, o dinheiro vai sobreviver como um fator de organização social.

A crise financeira que estamos vivendo – sintoma de uma falta geral de organização – poderá ser superada, pois, através de formas mais criativas de utilização do dinheiro.

Como as pessoas dos países ricos dispõem, excessivamente, de dinheiro, esse dinheiro poderá ser empregado como fator de organização social dos países pobres, com o que os ricos poderão ganhar dinheiro investindo para retirar outras pessoas da pobreza.

Isso, de quebra, pode ajudar a preservar o meio ambiente e tornar, com o tempo, as guerras desnecessárias.

Será uma utopia ?


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.