O BELICISMO COMO UM MAU NEGÓCIO

Como se fosse um tabu, os americanos não gostam de divulgar que as despesas militares estão minando, há anos, a sua Economia, porque isso implicaria reconhecer que as guerras, próprias e de terceiros, das quais não resulte uma vitória imediata, são um péssimo negócio.

Parece claro que a “política de defesa” dos EUA, que custa uma fábula de dólares, é, hoje, a sua principal vulnerabilidade.

Além de estar travando, diretamente, duas guerras infindáveis em territórios estrangeiros distantes, eles financiam, há muitos anos, as despesas militares de Israel , e ainda planejam por em prática projetos caríssimos, como a construção, por exemplo, de um escudo anti míssil nas fronteiras da Rússia.

A impetuosidade bélica dos americanos – intensificada por GEORGE BUSH ( que se auto proclamava, até recentemente, um “presidente de guerra” ) – acabou tendo um efeito bumerangue, o que pode levar o presidente OBAMA a dar uma guinada de 180 graus nessa política, de forma semelhante a que GORBACHOV promoveu, há décadas, na URSS.

Até que isso ocorra o jeito vai ser o Estado, contrariando a ideologia dominante, intervir cada vez mais na economia, como estamos vendo acontecer cada dia.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.