DESRESPEITO À RESOLUÇÃO DA ONU

As manchetes de certos noticiários, ao dizer que tanto o Estado de Israel como o Hamas não levaram em consideração a Resolução da ONU ( que determinou um imediato cessar-fogo na Faixa de Gaza ) podem dar a falsa impressão de que os dois estão desrespeitando igualmente o Direito Internacional.

Ocorre que o Hamas não é um Estado, mas um partido político da Palestina que, por sua vez, também não é, ela própria, ainda, um Estado: e não pode ser colocado, portanto, no mesmo pé de igualdade com o Estado de Israel.

O Hamas, por sinal, não se colocou contra a determinação do cessar-fogo, tendo apoiado, à sua maneira, a Resolução da ONU que teria consistido, a seu ver, no reconhecimento da ilegalidade da ação militar israelense.

Quanto a Israel , que integra, como Estado, a ordem internacional, não lhe cabia dizer, para descumpri-la, que a Resolução seria “impraticável” pois isso configura um ilícito internacional, passível de sanções.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.