VAI FICAR MAIS DIFÍCIL

A futura Secretária de Estado norte-americana declarou, ontem, à imprensa, que os EUA, rompendo com o passado recente neo conservador, vão tornar-se adeptos, em política externa, do smart power, afirmando o seguinte:

“O presidente eleito e eu acreditamos que a política externa deve ser baseada num casamento de princípios e pragmatismo, e não em rígida ideologia: em fato e evidência, e não em emoção e preconceito.”

Com isso, depois do dia 20, vai ficar muito mais difícil comentar a política internacional, do que no tempo de BUSH, cujas decisões ( que afundaram, de resto, em 8 anos, o prestígio americano ) baseavam-se em preconceitos ideológicos.

Ainda bem, contudo!


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.