CONTRA O VALORISMO EUROPEU

A chanceler da Alemanha, ANGELA MERKEL, não está querendo mais vincular o reajuste dos salários à variação da inflação, prática que há algum tempo impera em seu pais mas que, segundo ela, acarreta uma instabilidade dos preços.

Outros países europeus pretendem seguir o mesmo caminho, reagindo ao valorismo, numa caminhada de volta ao pleno nominalismo monetário.

A Alemanha, na década de 1920, conheceu bem os males causados pela valorização – o Aufwertung – que acabou gerando uma hiperinflação que destruiu o Reichmark.

O grande problema da indexação parcial – seja dos salários, seja dos contratos com prazo superior a um ano, seja das dívidas judiciais – é que ela tende a generalizar-se, para que o indexador se torne unidade monetária, como está acontecendo atualmente no Brasil.

A inflação, como se diz,  é uma praga. A indexação, uma peste.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.