O CREDOR GANHA SEMPRE

Quando se conjugam juros e correção monetária, como no Brasil,  o credor ganha sempre e com absoluta certeza.

Se a inflação sobe, a indexação acompanha essa subida, automaticamente.

Para enfrentar a inflação, o Banco Central aumenta a taxa básica de juros, e o credor ganha de novo.

E, para gáudio do  credor, ele ainda pode desfrutar da taxas de juros flutuantes, que são um mix de inflação e correção monetária.

Será que o Secretário do Tesouro dos EUA, TIMOTHY GEITHNER, conversou sobre isso com o Ministro MANTEGA ?


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.