O REINO DE DEUS E A ADORAÇÃO AO DINHEIRO – pelo Padre Pedro Magalhães Guimarães Ferreira

Mc 10, 17-30: Veio alguém correndo, ajoelhou-se diante [de Jesus] e perguntou: “Bom Mestre, que devo fazer para ganhar a vida eterna?” Jesus disse: “Por que me chamas de bom? Só Deus é bom […]. Tu conheces os mandamentos: não matarás, não cometerás adultério, não roubarás, não levantarás falso testemunho, não prejudicarás ninguém, honra teu pai e tua mãe!” Ele respondeu: “Mestre, tenho observado tudo isso desde a minha juventude”. Jesus o olhou com amor e disse: “Só te falta uma coisa: vai, vende tudo o que tens, e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me!”. Mas quando ele ouviu isso, ficou abatido e foi embora cheio de tristeza, porque era muito rico. Jesus […] disse aos discípulos: “Como é difícil para os ricos entrar no Reino de Deus! É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus!” Eles ficaram muito espantados […] e perguntavam uns aos outros: “Então, quem pode ser salvo?” Jesus […] disse: “Para os homens isso é impossível, mas não para Deus. Para Deus, tudo é possível!” Pedro [disse-lhe]: “Eis que nós deixamos tudo e te seguimos”. Jesus respondeu: “Em verdade, eu vos digo, quem tiver deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos, campos, por causa de mim e do Evangelho, receberá cem vezes mais agora durante esta vida – casa, irmãos, […], com perseguições – e no mundo futuro a vida eterna”.

Este trecho do Evangelho aparece nos três sinóticos, Mt, Mc e Lc, aliás com quase coincidência nas três versões. Ele é muito importante e tem sido considerado um dos principais fundamentos bíblicos para a vida consagrada: vida religiosas eremítica, cenobítica, Ordens e Congregações de vida ativa e de vida contemplativa,  Institutos seculares, etc. A pessoa, de acordo com Mt 19, 20 era um jovem.  Jesus o olhou com amor, depois que ele disse que havia guardado todos os mandamentos.

A Igreja sempre interpretou estas palavras de Cristo como conselhos: são os chamados  conselhos evangélicos ou conselhos de perfeição, que são modos de viver a santidade. Observe-se que depois de convidar o jovem a deixar tudo, Cristo, no final da conversa que se segue com os discípulos, especifica mais em que consiste este “deixar tudo” e acrescenta a promessa, para quem faz isso: receberá cem vezes mais agora nesta vida em casa, irmãos, irmãs, mães, com perseguições, e a vida eterna.

Quando Jesus disse da dificuldade para um rico entrar no Reino de Deus, os discípulos  ficaram espantadíssimos, pois de acordo com a tradição mais seguida em Israel, as riquezas eram um sinal das bênçãos de Deus. (É bem verdade que isto havia sido repensado ao longo da história do povo eleito, principalmente a partir do exílio na Babilônia. E no AT, como nota a BP no comentário aos versículos 23-25, encontram-se passagens em que se condena  não a riqueza em si mesma, mas o apego a ela, citando o Salmo 49: “se a vossa fortuna prospera, não lhe deis o coração”). O espanto dos discípulos fica patente com a pergunta: se para os ricos é difícil a salvação, quem então pode ser salvo?

Cristo diz que é mais difícil para um rico entrar no Reino de Deus do que um camelo passar pelo buraco de uma agulha. Isto deve ser entendido ao pé da letra? Ao que tudo indica, trata-se de uma hipérbole, bem ao estilo semita, do contrário não seria somente mais difícil, mas impossível. Mas os discípulos, que eram semitas, entenderam ao pé da letra. Foi quando Cristo, dando razão, em certo sentido, à interpretação literal, disse que para os homens é de fato impossível, mas não para Deus. Esta palavra de Cristo bate perfeitamente bem com a doutrina da graça: esta é de graça, ninguém a merece. E sem a graça de Deus, não se entra no Reino de Deus.

Esta dificuldade para o rico entrar no reino de Deus é facilmente inteligível na medida em que o dinheiro se transforma frequentemente em ídolo, ou seja, um absoluto na vida da pessoa. Mas o absoluto só pode ser Deus, então o dinheiro ocupa o lugar de Deus no coração do rico, daí a impossibilidade de entrar no reino de Deus. Mas, note-se bem, o dinheiro bloqueia a entrada no reino de Deus se e somente se ele tomar conta do coração do homem, isto não acontecendo necessariamente, e de fato são inúmeros os casos conhecidos de pessoas ricas que não transformaram o dinheiro num ídolo, mas pelo contrário, usaram muito bem o dinheiro para ajudar os outros. Pode-se dizer então que a dificuldade para o rico entrar no reino de Deus é porque muitos ricos se apegam ao dinheiro.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.