O BRASIL NÃO PRECISA DE ZONEIROS

O risco de um Pais, como o nosso, copiar a conduta errática do presidente Trump é aumentarmos, desnecessariamente, os problemas que já temos.

A tática política de Trump – seguidor de pessoas de mau caráter, como Roger Stone e Steve Bannon, por exemplo – ( e, ele próprio, moralmente desqualificado ) é ficar fazendo zoeira, como se diz popularmente, para que o seu jogo sujo não transpareça. Isso é ruim, sem dúvida. Mas está dando para fazer num País como os Estados Unidos, que se apoia em pessoas extremamente ricas.

Aqui no Brasil só prejudica, embora ser mal educado, não ter compostura, agredir verbalmente tenha virado moda também entre nós, tanto, que, recentemente, o filósofo Olavo de Carvalho chamou o General Mourão de “charlatão desprezível”, in verbis:

“Só um charlatão desprezível debocha de livros que não leu. É você Mourão.”

Isso não é coisa que se faça.

O filósofo tem ligações com o atual governo: consta que indicou o Embaixador Ernesto Araújo e o professor Vélez Rodrigues para os cargos que passaram a ocupar – de Ministro das Relações Exteriores e de Ministro da Educação, respectivamente – e é o mentor intelectual, ao que se sabe, do Deputado Eduardo Bolsonaro. Ele é, portanto, aliado do governo do qual o General Mourão faz parte como Vice-Presidente da República, eleito com mais de 50 milhões de votos.

Depois que você se torna governo o menos de que precisa são ondinhas. Temos, por aqui, tantas fragilidades que a estratégia de Trump não vai dar certo nestas bandas.

Podem crer !


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.