MONETÁRIA: A MÃE DE TODAS AS REFORMAS

Em entrevista a Letícia Paiva, do site jurídico JOTA, o economista-chefe da MB Associados, Sérgio Vale, afirmou:

O governo se perdeu na discussão da privatização, fez uma mal encaminhada com a Eletrobras e agora chega às vésperas da eleição, em que privatizar vira um tema complicado. As outras reformas, como administrativa e tributária, nem se fala. Olhando para 2023 em diante, quem entrar deveria focar na reforma tributária. Ela está amadurecendo assim como aconteceu com a reforma da Previdência; essa discussão deveria ser o centro de qualquer presidente em 2023. Esse seria o caminho mais interessante, sem solavancos, sem trazer muitos riscos para a economia. O mercado gostaria. Vai acontecer? Duvido, mas é o sonho do economista.”

O presidente da FEBRABAN, Isaac Sidney, também enfatiza a necessidade das reformas, afirmando ao mesmo site jurídico:

…”Brasil não tem fôlego suficiente para aguentar mais um ano sem avançar com as reformas tributária e a administrativa”.

Esta é uma questão de mérito a ser enfrentada pelo próximo Presidente mas há uma preliminar fatal: a mãe de todas essas é a Reforma Monetária que depende, preliminarmente, da extinção da correção monetária.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.