OS DESAFIOS DA DIREITA E DA ESQUERDA NO BRASIL

A eleição de Lula, liderando uma frente ampla, e o fracasso do Golpe tentado em 8 de janeiro trás à tona o debate sobre  dois pilares do Movimento Empresarial Militar de 1964: a) a desilusão da população com as suas Forças Armadas e b) o debate sobre a transformação da base do sistema financeiro brasileiro.

A despeito da queda que eu vislumbro desses dois pilares de 1964 – o militarismo e a correçáo monetária – outras colunas de sustentação do Golpe de 1964 ainda estão vivas e devem ser preservadas por uma direita democrática. Por outro lado, as transformações sociais pelas quais o mundo todo está passando, e o surgimento de novas relações de trabalho, obrigarão o PT e os partidos de esquerda a rejuvenescer.

Com efeito, parte dos empresários brasileiros  conseguiram criar, depois de 64,  um sistema dinâmico, que superou o antigo corporativismo das indústrias e do comércio para-estatais dos tempos de Vargas. E as empresas multinacionais do mundo Ocidental, diante da ameaça do crescimento econômico da China, perceberam que não podem prosperar às custas do aumento sem freios das desigualdades entre as pessoas.

Tanto a esquerda como a direita brasileiras enfrentarão novos desafios e precisarão desenhar instituições originais, que equilibrem as forças do trabalho e do capital. Há um mundo diverso à nossa frente que é necessário modelar socialmente.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.