O CÂMBIO INTERNO E UM CÍRCULO VICIOSO

O presidente do BC, Roberto Campos Neto, declarou à imprensa que a Taxa Selic, no Brasil, está tão elevada por conta do tamanho da dívida pública.

Mas a Taxa Selic alta aumenta a dívida pública que está a ela atrelada, com o que as políticas fiscal e monetária do País ficam girando em torno delas próprias, gerando um círculo vicioso.

Existe, em nosso País, uma ordem paralela, cuja unidade de valor era a ORTN, criada pelo Golpe Militar através da Lei n. 4.357, de 16 de julho de 1964 e foi substituída por várias outras subsequentes sendo, atualmente, em parte, a Taxa Selic.

Como o Indexador Geral acompanha os níveis de inflação a ordem paralela é, sempre, maior do que a ordem monetária legal, que se apoia na moeda Real. Para que os créditos indexados, que ocupam o espaço de cerca de 70% da nossa Economia, acompanhem essa valorização permanente o Banco Central criou uma forma de Câmbio interno, entre as duas ordens coexistentes.

RCN, portanto, tem razão em parte, mas não questiona a verdadeira anomalia; antes, ajuda a mantê-la.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.