NÃO DEVE HAVER UMA LUTA ENTRE O DOLAR E O YUAN

A desdolarização, de que tanto se fala atualmente, está servindo para evidenciar, por um lado,  que o imenso Poder Militar norte-americano não é suficiente para disciplinar o Sistema Monetário Internacional;  e, por outro lado, que a inexistência de uma moeda interacional ( emitida por um Banco Central Universal ) demonstra a vulnerabilidade do dólar como “reserva de valor”.

Na verdade, como não há uma moeda internacional não há um valor monetário internacional e o dólar, portanto, é um “tigre de papel”.

Tal não quer dizer, contudo, que o dólar deva ser dispensado como meio de pagamento no comércio internacional, porque isso não vai resolver a principal dificuldade do Direito Internacional que é a ausência de uma sanção que garanta uma ordem jurídica mundial, similar a dos estados nacionais.

Se considerarmos a transferência compulsória de mãos da peça monetária como uma sanção positiva o problema da inexistência de um órgão internacional sancionador ficará resolvido, pois haverá um Banco Central Mundial com essa função. O dólar, portanto, pode continuar a ser usado nas transações entre os Estados, juntamente com o Yuan.

Essa é uma alternativa para sairmos do atual impasse pelo qual está passando a Humanidade que pode levar à destruição de nosso Planeta que corre o risco de ter o mesmo destino da tresloucada tripulação do submersível que acabou de implodir.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.